Conheça a designer do ano da Maison et Objet

MaisonetObjet-designer-cecilie-site-eleone-prestes

Cecilie Manz, 40 anos, dinamarquesa de Copenhagen, é a profissional em destaque da Maison et Objet (como gosto de chamar, ou Maison&Objet, como é a expressão predominante), evento iniciado em 1995 que reúne 3 mil marcas em Paris de 19 a 23 de janeiro de 2018.  A designer do ano da Maison&Objet está constantemente experimentando em seu estúdio. A escandinava apresentará os recentes resultados na Maison et Objet de janeiro: haverá uma mostra de produtos antigos e novos, exibidos em uma atmosfera acolhedora e caseira – tema subjacente que define cada uma de suas criações.

CECILIE MANZ - EARTHENWARE - FRITZ HANSEN - PHOTO CREDITS: FRITZ HANSEN
Observe o uso sutil de tons de cinza, muitas vezes associados a cores brilhantes, mas com seu caráter minimalista. A cor é um elemento fundamental em seu processo criativo e ela sempre desenvolve uma paleta específica nos primeiros estágios de cada trabalho, como uma maneira de afirmar a identidade do produto. Sua herança escandinava também é evidente em seu esforço para tirar suas criações de qualquer elemento supérfluo, concentrando-se no essencial, inconsciente do fato de que sua perseguição incessante de linhas descompactadas apresenta um novo desafio a cada momento (Fotos Fritz Hansen, divulgação)

Cecilie quando criança sempre escapava para o estúdio que o pais, ceramistas, mantinham em sua casa para brincar com a argila. Após adquirir o diploma em Design de Objetos e Móveis, na Royal Danish Academy of Fine Arts, em 1997, mudou-se para Helsinki, Finlândia, onde frequentou a University of Art and Design. No ano seguinte, fundou seu próprio estúdio no coração de Copenhagen. Mesmo sentindo falta da sensação vibrante da cidade para nutrir sua criatividade, Cecilie fica feliz em voltar para a sua casa no subúrbio onde, segundo ela, “se reconecta com os elementos”.

Ao contrário de outros designers dinamarqueses, o equilíbrio que Cecilie mantém entre civilização e natureza é vital para o seu processo criativo. Do mesmo modo, seu lifestyle e a relação com a família alimentam sua inspiração. A designer admite que a cerimônia para o Crown Prince Couple’s Culture Award, que ganhou em 2014, apresentado pelo Príncipe e pela Princesa da Dinamarca, certamente foi um dos pontos altos de sua carreira. Uma carreira que abrange vinte anos aprimorando pacientemente as suas habilidades para emergir hoje como uma das principais figuras do design escandinavo.

Escada, luminária, móveis

Seu primeiro projeto, intitulado The Ladder – uma escada que funciona como cadeira – foi rapidamente levada à produção por Nils Holger Moormann, depois que o alemão viu o protótipo em uma revista. Outro projeto que alavancou sua carreira foi a Caravaggio lamp (2005) – um best-seller. Cecilie Manz trabalhou em inúmeros e variados projetos, como sofás, série de poltronas de madeira, coleção de mesas e cadeiras para Fritz Hansen, vasos de vidro e diversos modelos de alto-falantes portáteis para B & O Play – marca recentemente lançada pela Bang & Olufsen, que ela colabora desde 2014.

Apesar do interesse em experimentar novos materiais e explorar funções originais, sempre que ela está em sua mesa de trabalho, o processo é invariável. Cada novo desenho começa com inúmeros esboços e modelos e um diálogo estreito com o fabricante. Uma visita à linha de produção, por exemplo, pode refinar o resultado e combinar técnicas utilizadas em cada fábrica. Recentemente, Cecilie voou para o Japão para uma colaboração com a empresa Actus e também para ser co-curadora da exposição “Everyday Life – Signs Of Awareness” no 21st Century Museum of Contemporary Art Kanazawa, por ocasião do 150º aniversário da relação entre Japão e Dinamarca.

Escrito por
Mais de Eleone Prestes

Exposição de Sérvulo Esmeraldo no Instituto Ling

Abre nesta terça-feira, 28 de novembro, e se estende até 31 de...
Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *