Gian Carlo Gasperini, arquiteto italiano do aflalo/gasperini, faleceu aos 93 anos

Gian Carlo Gasperini à frente de prédio que projetou, junto a um jardim florido PCV
Gian Carlo Gasperini, arquiteto que projetou o prédio do Tribunal de Contas do Municipio de São Paulo, na Avenida Professor Ascendino Reis na Vila Clementino, perto do Parque do Ibirapuera (foto Marcio Fernandes/ AE)

Sócio-fundador do escritório aflalo/gasperini arquitetos, o arquiteto italiano Gian Carlo Gasperini faleceu na noite do dia 15 de julho, aos 93 anos. Deixa grandes projetos, a maioria em São Paulo, e desde 2015 estava aposentado, mas seus sucessore prosseguem a partir do seu legado. Gasperini fundou o escritório em 1962, na época com o nome Croce, Aflalo & Gasperini, junto com Plinio Croce e Roberto Cláudio dos Santos Aflalo. Do ponto de vista arquitetônico teve grande expressão criativa, influenciou e foi influenciado por importantes arquitetos do século XX. Uma pessoa que adotou o Brasil como lar, para onde veio com a família fugida da guerra no final dos anos 1940 e resolveu permanecer após se entrosar com a geração de arquitetos que liderou a modernização da arquitetura brasileira como Niemeyer e Lucio Costa.

Auditório Claudio Santoro_Fotos Gal Oppido
Auditório Claudio Santoro (Foto Gal Oppido, divulgação)

O escritório aflalo/gasperini arquitetos, com 58 anos, seguirá produzindo projetos inovadores e sustentáveis, reforçando o legado pioneiro de Gasperini bem como seus princípios arquitetônicos. Com a morte dos sócios Plínio Croce e Roberto Aflalo em 1984 e 1992, deu continuidade ao escritório com os sócios da geração seguinte Roberto Aflalo Filho e Luiz Felipe Aflalo Herman. Em 2015, se aposentou do escritório. Hoje, Roberto e Luiz Felipe dividem a sociedade com Grazzieli Gomes Rocha e José Luiz Lemos.

Edifício sede IBM_Foto Gal Oppido

Gian Carlo Gasperini graduou-se pela Faculdade Nacional de Arquitetura da Universidade do Brasil no Rio de Janeiro e mudou-se para São Paulo para trabalhar com o francês Jacques Pilon. Nos anos 1960, começou a lecionar na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, tornando-se mais tarde professor titular. Nesse mesmo período, montou o escritório, que teve papel importante na arquitetura brasileira. Gasperini ainda lecionou na pós-graduação da Universidade de São Paulo e se dedicou à pesquisa na área de Projetos de Edificações.

Em 2010, recebeu o Título de Cidadão Paulistano e em 2015, foi homenageado pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) pelo conjunto de sua obra. Também recebeu títulos honoríficos como o Croix Chevalier Mérite Commercial, do governo francês, e o GB Cavaliere dell’Ordine al Merito dei la Republica Italian”, concedido pelo Governo da Itália, além de ser condecorado como Cavalheiro Donato da Soberana Ordem de Malta.

Edifício Citibank Paulista_Foto Gal Oppido
Edifício Citibank Paulista (Foto Gal Oppido, divulgação)

Seus projetos de destaque como os Supermercados Peg-Pag e Pão de Açúcar, o Edifício Metrópole e o Centro Metropolitano de Compras (em colaboração com o arquiteto Salvador Candia), os Edifícios Pauliceia e Moreira Salles e o Peugeot, em Buenos Aires (anteprojeto vencedor do Concurso Internacional patrocinado pela U.I.A., em colaboração com o Plinio Croce, Roberto Aflalo e Eduardo Patrício Suarez), e tantos outros de seu escritório como o Tribunal de Contas do Município de São Paulo, os edifícios-sede da IBM e do Citibank, o Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, e o Credicard Hall, deixaram um importante legado que marcou a história do escritório e da arquitetura do país.

Auditório Claudio Santoro_Fotos Gal Oppido
Auditório Claudio Santoro (foto Gal Oppido, divulgação)

Escrito por
Mais de Eleone Prestes

Design autoral e curadoria: fórmula para qualificar as feiras nacionais

A bandeira da peça assinada, de preferência concebida com um toque artesanal,...
Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *