Vamos entrar no Palácio Tangará por meio de 25 fotos?

Palácio Tangará. Revitalização da propriedade é obra dos escritórios B+H Architects, PAR Arquitetura e Bick Simonato. A arquiteta Patricia Anastassiadis marca o projeto de interiores
Revitalização da propriedade é obra dos escritórios B+H Architects, PAR Arquitetura e Bick Simonato. A arquiteta Patricia Anastassiadis marca o projeto de interiores

Quem se interessa por arquitetura e novidades na área certamente pelo menos já ouviu falar no Palácio Tangará. Assunto não falta. Patrimônio arquitetônico e paisagístico aliam-se a design e arte contemporânea nessa proposta de revitalização e arquitetura de interiores do mais novo hotel de luxo em São Paulo. Patricia Anastassiadis foi convidada pelo grupo europeu Oetker Collection (a rede tem nove hotéis, como o parisiense Le Bristol), para projetar as áreas sociais e comuns do Palácio Tangará, o primeiro empreendimento da rede na América Latina. O mais comentado hotel brasileiro do momento foi inaugurado em maio em uma área verde na Zona Sul de São Paulo, nos arredores do Parque Burle Marx (veja acima). O empreendimento começou com paisagismo de luxo e em uma propriedade nobre: a antiga chácara de Francisco “Baby” Matarazzo Pignatari, neto do conde Francesco Matarazzo (1854-1937), uma das famílias mais nobres na antologia social brasileira.

O projeto de revitalização dessa propriedade ficou sob responsabilidade dos escritórios B+H Architects, PAR Arquitetura e Bick Simonato. Ao Anastassiadis Arquitetos coube o projeto de lobby, bar, restaurante, ballroom, SPA (da francesa Sisley), kid’s club e centro de convenções do hotel. São 11 salões destinados a eventos, entre os quais o salão de festas para até 360 pessoas.

Palácio Tangará
Interiores com nobreza contemporânea (Fotos Ruy Teixeira)
A imponência é a marca do Palácio Tangará (Fotos Palácio Tangará, Divulgação)
A imponência é a marca do Palácio Tangará (Fotos Palácio Tangará, Divulgação)

De nome emprestado do pássaro sul-americano que tinge a fauna brasileira em revoadas furta-cor, o Palácio Tangará está localizado em 27 mil metros quadrados nos arredores do Parque Burle Marx – reserva praticamente intocável de Mata Atlântica onde o paisagista carioca Roberto Burle Marx (1909-1994) atuou como diretor artístico em um dos lotes.

Entrada do Palácio Tangará
Entrada do hotel

Interiores: Áreas comuns e sociais by Patricia Anastassiadis

Responsável pelo Hilton Barra, Grand Hyatt, Ritz Carlton, Club Med Trancoso e Tivoli Mofarrej, a arquiteta Patricia Anastassiadis tinha o expertise necessário para o empreendimento de luxo, o mais recente trabalho da arquiteta. Para 2018, ela será notícia com o Bothanica, condomínio de casas de luxo em São Paulo, empreendimento premiado no International Property Awards 2016 – 2017, na categoria Residential Development Brazil. Para o Palácio Tangará, Patricia criou um trabalho de “alfaiataria arquitetônica”, da casca ao conteúdo, que se inspira em documentos naturalistas como os pintados por Debret, Eckhout e Rugendas, sem cair em obviedades e alegorias folclóricas. A sócia fundadora do Anastassiadis Arquitetos criou ainda a maioria dos móveis da área comum do hotel.  

Elegância contemporânea no projeto de Patricia Anastassiadis para o Palácio Tangará (Fotos Ruy Teixeira, Divulgação)
Elegância contemporânea no projeto de Patricia Anastassiadis para o Palácio Tangará (Fotos Ruy Teixeira, Divulgação)

Não estamos trabalhando com um Brasil regional, nem caricato. Quero mostrar que dentro desse hotel tudo é nacional: a qualidade dos nossos minerais, a sofisticação das matérias-primas, o nosso design. Falamos, sim, de um Brasil riquíssimo em belezas naturais, mas também de um dos marcos mundiais do Modernismo, de um lugar absolutamente cosmopolita – tudo mantendo o DNA dos grandes hotéis da Oetker. É quase um olhar estrangeiro, só que de dentro para fora”, conta Patricia.

Trabalho das paredes ao piso formatou as áreas comuns
Trabalho das paredes ao piso formatou as áreas comuns do hotel

Quando a profissional assumiu as obras, em 2015, o invólucro era apenas uma estrutura de cimento e pilares áridos, com fechamentos austeros. Patricia encapsulou as paredes em boiseries de baixo-relevo, acentuando leveza para equilibrar o que poderia ficar opulento demais. Revestiu o piso com mármore e criou um tapete fixo elipsoidal em parquê francês, executado em padronagem solar de listras estilo chevron. Em cima de tudo, o recorte côncavo no teto criou uma espécie de domus para abrigar o espetacular trabalho de folhas de ouro da artista Laura Vinci, o Lux Capela, que também evoca, de um jeito moderno, os tempos do Brasil-colônia.

Não sei projetar sem história, ficaria vazio e sem sentido para mim. O que mais me inspirou foi uma aquarela do século XVIII do Debret, com matizes acinzentados que dizem tudo sobre o olhar que o forasteiro sempre teve daqui. Este foi o ponto de partida para a paleta cromática. Fizemos um estudo cuidadoso para chegar, inclusive à tonalidade das paredes, buscando um cinza que não fosse frio”.

Palácio Tangará

O counter da recepção faz uma releitura dos grandes hotéis franceses (em especial os legendários châteaux parisienses), em vidro, latão e couro, sinalizando a mistura fina de materiais que caracteriza o trabalho da arquiteta, que sempre tratou seu ofício como alta-costura. “Faço algumas interferências com camurça e pedra, de certa forma ‘vestindo’ a arquitetura de interiores, criando novas camadas que plasmam texturas, intrigam o olhar, acionam o tato”. Atrás do balcão, a obra Mixirica, de Artur Lescher, alinha a cena. Um detalhe curioso, emocional e pragmático no processo criativo da arquiteta é justamente a seleção das obras de arte: que determina o espaço somente após a escolha dos trabalhos para cada área. “Não acredito na obra que entra depois do projeto pronto, pois existe uma narrativa, estou contando uma história. O layout foi planejado a partir das obras, e não o contrário”, diz sobre a legitimidade da curadoria.

Palácio Tangará

Palácio Tangará

 

Palacio Tangará

Palacio Tangará

Palacio Tangará

Palácio Tangará

Sobre bases sofisticadas – que incluem um tapete de 200 metros quadrados desenhado por Patricia em degradê e executado na Índia – a mobília também é quase 100% autoral. Anastassiadis orquestra, em poltronas, sofás e cadeiras, referências Art Déco, Art Nouveau e orientais com certo mood aerodinâmico, curvas sensuais e proporções um pouco mais generosas, feitas sob medida. Um dos exemplos dessa originalidade é o sofá Jean, que tem shape delineado em homenagem a Jean-Georges Vongerichten, o poderoso chef três estrelas Michelin que capitaneia a cozinha do Tangará – todas as mesas com vista para o parque, incluindo no reflexo dos brises de espelho que Patricia colocou para não privar ninguém do espetáculo verde do Palácio que já nasce com o status de mais racée do Brasil.

Palácio Tangará

O restaurante conta uma private dinner, chef´s table para 16 convidados e adega.

Palácio Tangará

Palácio Tangará
Palácio Tangará

Estou muito feliz com o resultado do trabalho da Patrícia e como ela foi capaz de capturar exatamente a essência do que eu imaginei para este projeto. Em apenas uma reunião, ela conseguiu criar um ambiente moderno, mas aconchegante para nossos hóspedes e clientes. O uso da luz natural no restaurante, a mesa do chef e o quarto privado são simplesmente incríveis. Burle Bar e suas peças de arte é um dos meus lugares favoritos para relaxar no Palácio Tangará ” afirma Jean Georges.

Palácio Tangará

 

Palácio Tangará

SPA e piscina

O SPA é composto por um jardim privativo e ocupado pelo Spa Longevity by Sisley, renomeada empresa francesa de beleza. O detalhamento chegou ao ponto de Patricia desenvolver um modelo de ducha exclusivo executada pela Deca.

Palácio Tangará

Palácio Tangará

A piscina é revestida com mármore e tem detalhes em pastilhas para criar uma arquitetura simbólica e aproveitar a iluminação natural do local.

Palácio Tangará

Palácio Tangará

Palácio Tangará
Kid’s Club: até o espaço para as crianças é elegante

Sobre Patricia Anastassiadis

A arquiteta cresceu entre tecidos, linhas e agulhas em uma confecção feminina, de propriedade de sua família, no bairro paulistano do Bom Retiro. A mãe, de origem judaica, é estilista, e o pai, grego, administrador de empresas. Até os 17 anos, pensou em se dedicar à moda, mas por sugestão de sua mãe optou  pela arquitetura. Entrou na faculdade Mackenzie e, aos 21 anos, já apaixonada pela profissão, montou um escritório na varanda de casa.

Seu primeiro projeto foi o restaurante Filomena, em 1994. Depois disso, vieram outros projetos de marcas como o Banque Edmond de Rothschild, Deustche Bank, Bank Boston, Adidas, Nestlé, Sony, Brookfield, Tishman Speyer, tanto no mercado nacional quanto internacional (Portugal, Espanha, EUA e Chile).

A profissional sempre busca projetar espaços onde a arquitetura e o design propiciem bem estar, conforto e percepção de soluções únicas. Entre os grandes hotéis estão o Ritz Carlton, de Santiago, no Chile, o Tivoli Mofarrej, em São Paulo, o Club Med de Trancoso, na Bahia e o Hilton Barra, no Rio de Janeiro. “Um projeto precisa ter um conceito único, ser pensado especialmente para atender as necessidades e o perfil do cliente, conter arte e tecnologia. Estudamos cada detalhe, buscando unir a preocupação estética com as melhores soluções técnicas e funcionais”, explica Patricia.

As novidades da arquiteta não se limitam apenas ao setor hoteleiro, há cinco anos Patricia dirige o setor de criação da Artefacto. Em 2017, a profissional desenvolveu uma coleção de mobiliário exclusiva com mais de 38 peças. A arquiteta assina coleções para outras marcas também como Blue Gardenia, especializada em enxoval de cama mesa e banho e a Ornare, referência em móveis de alto padrão sob medida.
Patricia é sócia da Incorporadora Alfa Realty e assina diversos empreendimentos residenciais. Lançará em 2018 o Bothanica, condomínio de casas de luxo em São Paulo. O empreendimento foi premiado no International Property Awards 2016 – 2017, na categoria Residential Development Brazil.
Em 2004, Patricia, ao lado de seu irmão, Eudoxios Anastassiadis, inaugurou o Instituto Cultural Anastassiadis, de ações voltadas à restauração arquitetônica e artística de patrimônios e monumentos históricos públicos e particulares promovendo a cultura, defesa e conservação artística. O instituto e a sociedade beneficente União Fraterna formaram parceria em 2013.

Sobre Anastassiadis Arquitetos
Há 20 anos no mercado, a Anastassiadis Arquitetos destaca-se por desenvolver projetos de arquitetura e design de interiores para as áreas comercial, corporativa, hoteleira, empreendimentos imobiliários. Sob a direção da arquiteta Patricia Anastassiadis e de uma equipe de sócios, a empresa é composta por um time de mais de 60 profissionais, que desenvolvem projetos e formulam conceitos buscando unir a preocupação estética com as melhores soluções técnicas e funcionais para cada projeto. Com mais de 700 projetos realizados e atuação no mercado nacional e internacional (Portugal, Espanha, EUA e Chile), a Anastassiadis Arquitetos prioriza espaços nos quais a arquitetura e o design, resultem em bem-estar, conforto e percepção de se sentir em um lugar único.

Anastassiadis Arquitetos 
Rua Ceará, 436 – Higienópolis – SP / CEP 01243-010
55 11 2182 7400 / 55 11 3306 7400

 

Escrito por
Mais de Eleone Prestes

Direto de Paris: Déco Off colore a cidade

Preto predomina no guarda-roupas de inverno dos parisienses, mas os lançamentos em...
Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *