Fundação Iberê Camargo: No Drama

Iberê Camargo exposiçao Drama
Foto Nilton Santolin

Sábado e domingo é dia de ir na Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre. Isso significa adentrar a arquitetura em concreto branco de Alvaro Siza e deslizar pelas rampas em busca de arte. Pois o artista Eduardo Haesbaert em dado momento passou a fazer parte da família e a estar presente na vida e obra de Iberê Camargo. Agora apresenta a exposição No Drama.

Iberê Camargo exposição No Drama

Essa exposição apresenta uma face pouco conhecida da obra de Iberê Camargo: a sua relação com a dramaturgia. A mostra exibe telas, painéis, fotografias e estudos, e até mesmo um vestido, os quais reverberam o dinamismo de um artista que fazia dos sábados em sua casa, e de suas sessões de pintura, momentos de criação, ilustração e convivência com artistas e intelectuais das mais variadas origens.

Iberê Camargo

Iberê-Camargo-No-Drama

Nos estudos de boca de cena e figurinos para o Balé Rudá, peça de Heitor Villa-Lobos jamais executada pelo compositor em vida, Iberê investiga o delírio tropical de uma américa amazônica, donde a força e o fogo da paixão nativa alimentam uma epopeia de cor e fantasia; dentre as fabulosas lendas gauchescas de João Simões Lopes Neto, reiterado objeto de estudo do artista, deparamos nesta exposição com um conjunto de painéis pintados em fórmica, uma técnica pouco conhecida, embora explorada por Iberê em sua versão para a Salamanca do Jarau.

Iberê Camargo exposição No Drama

Na sequência do passeio pelo “lado B” de um gênio indomável, encontramos os guaches criados pelo pintor para uma encenação de Luigi Pirandello – O Homem com a Flor na Boca -, cuja atuação de Manoel Aranha, quando já atingido pelo HIV nos anos de 1990, levou o artista à comovente performance em seu estúdio que aqui pode ser vista no filme Presságio, de Renato Falcão; ainda no teatro, As Criadas de Jean Genet ganham uma materialidade própria em guaches pérfidos e misteriosos; e, por fim, pontuando um elenco de notáveis personagens, o curador elegeu duas obras simbólicas da força e da atitude que marcaram a relação de Iberê Camargo com o drama, fosse ele nos palcos, nas telas ou na vida: Retrato Jane e Mariza, uma pintura onde se vê duas mulheres de expressiva fisionomia, como que siamesas em seu comum semblante carregado de horror, e O Delírio, um guache que confronta o público com a face do sonho e do pesadelo que embalam nossas noites, mas também nossas vidas, em suas toadas imprevisíveis e sempre absurdas quando os dias chegam ao fim. (Fotos Nilton Santolin, trecho final do texto da divulgação da mostra)

exposição No Drama, com obras de Iberê Camargo

SERVIÇO

O que: Exposição No Drama

Quando: até 12 de agosto de 2017, aos sábados e domingos, das 14h às 19h

Onde: Fundação Iberê Camargo, Avenida Padre Cacique, 2.000, à beira do pôr do sol do Guaíba, em Porto Alegre

Quanto: entrada franca

Como chegar lá: As linhas regulares de lotação que vão até a zona sul de Porto Alegre param em frente ao prédio, assim como a linha de ônibus Serraria 179. Partem do Centro e passam em frente ao shopping Praia de Belas. O retorno pode ser feito a partir do vizinho BarraShoppingSul, por onde passam diversas linhas de ônibus

Veja o site da FIC: iberecamargo.org.br

Redes sociais:

Facebook fundacaoiberecamargo

Instagram @f_iberecamargo

 

 

Escrito por
Mais de Eleone Prestes

Moderna para Sempre – Fotografia Modernista Brasileira na Coleção Itaú Cultural mostrada na FIC

No dia 19 de maio, às 14h, a exposição Moderna para Sempre – Fotografia Modernista...
Leia Mais

1 Comment

  • Linda matéria!
    Me transportei no tempo e mentalmente revivi aqueles importantes e especiais momentos, quando tive o privilégio de estar junto ao grande e querido amigo Iberê Camargo, o Maestro da Arte Brasileira.
    Com muito orgulho, meus parabéns!,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *