Coworking: onde compartilhamento e privacidade se encontram

Vista da arquitetetura do entorno do coworking no Centro Histórico de Porto Alegre
Vista da arquitetetura do entorno do coworking no Centro Histórico de Porto Alegre em reforma projetada pelo arquiteto Enio Vivian (Fotos Marcus Jung, divulgação)

Espaços compartilhados de trabalho solucionam problemas de área e de recursos financeiros. Quem não precisa de sedes grandes para acomodar número elevado de colaboradores e nem utiliza muito além de um notebook pode contar com ambientes pensados para trabalhar com menor aporte financeiro e sem preocupações com manutenção. Projetado por um arquiteto, o coworking contempla confortos térmico, acústico, luminotécnico e layouts compostos por mobiliário com ergonomia para trabalhar com bem-estar e saúde. Como nem todo mundo pode fazer home office e muita gente precisa reduzir custos, é preciso pensar em opções não convencionais.

Espaço de convivência também faz parte da proposta
Espaço de convivência também faz parte da proposta de coworking
Trabalho com descontração
Trabalho com descontração

Falando sobre ambientes comerciais e corporativos após a pandemia do coronavírus, o arquiteto Enio Vivian ressalta que, entre os equipamentos que deverão ser revistos, estão aquelas mesas comunitárias com pouco espaço entre um grupo e outro de pessoas em um restaurante, por exemplo. Isso sem falar na possibilidade de criar elementos divisórios entre as mesas para solucionar a excessiva proximidade.

Distanciamento controlável
Distanciamento controlável

Criado antes da pandemia, há cerca de um ano, o coworking no centro de Porto Alegre propõe adentrar o espaço por meio de uma cafeteria, com a aromaterapia do pó que nos traz boas lembranças de um intervalo lúdico durante a jornada de trabalho. E isso com a vantagem de reenergizar para prosseguir com foco nas tarefas.

Entrada no prédio é pela cafeteria
Entrada no prédio é pela cafeteria
Cafeteria dentro de casa
Cafeteria dentro de casa

Em meio à arquitetura eclética do Centro Histórico, o projeto do arquiteto Enio Vivian contempla o SZ Working, Z Café Takeaway Andradas (takeway é uma opção para quem quer evitar contato social desnecessário) e espaço para eventos em área de mil metros quadrados, ocupação total do prédio de cinco andares dos anos 1970. O Lounge Glass, um jardim de inverno com vidros e iluminação natural, e o Rooftop, um terraço panorâmico com sacada voltada à vista privilegiada da tradicional Rua dos Andradas são as propostas de ambientes para reuniões sociais, oficinas, workshops, palestras e o que mais os usuários necessitarem.

Oásis no Centro
Oásis no quinto andar

O projeto arquitetônico previu espaço para profissionais, escritórios individuais para empresas, salas para reuniões e coaching, auditório, elevador, cabines telefônicas para seus frequentadores poderem ter privacidade. Além do acesso 24 horas ao prédio par quem quiser evitar aglomerações nos horários de deslocamento pela cidade e das opções gastronômicas do Z Café e dos espaços de convivência, há serviço de secretária eletrônica (as chamadas podem ser transferidas do escritório para qualquer lugar do mundo) e serviço de correspondência, entre outras facilidades.  A Internet disponibilizada também é um diferencial: a rede Cyber Security garante a proteção das informações das empresas, para driblar a possibilidade de exposição de dados dos usuários. Com tantas reuniões virtuais nesta quarentena, hábito que em parte deverá ser mantido, a Internet é serviço de primeira necessidade.

Ambiente de trabalho com ar de casa
Ambiente de trabalho com ar de casa
Sala de reuniões
Sala de reuniões: cadeiras à disposição para o distanciamento mais adequado no momento

Vale ressaltar o sistema de climatização, desenvolvido atendendo normas internacionais de qualidade do ar: foi instalado um sistema de insuflamento de ar filtrado, na quantidade de 27m3/hora/pessoa. Fazendo parte da proposta de sustentabilidade, as coberturas de vidro do rooftop e do lounge glass são feitas de vidro térmico acústico. Todo o conceito de reciclagem de uso para prédios existentes, com reformas que causem o menor impacto possível, demolindo o mínimo possível foi empregado nesta obra.

Enio Vivian harmonizou na reforma vidro, aço, alumínio, carpete, porcelanato Portobello, massa acrílica espatulada e com cor, sem deixar de reaproveitar mármores preexistentes que foram totalmente restaurados, guardando a memória da edificação, preservada sempre que possível para corresponder ao conceito de sustentabilidade proposto. E tudo foi preparado “para durar pelos próximos 50 anos”, conforme o arquiteto.

 

Contatos:

Estúdio Arquitetura Enio Vivian – Rua Visconde do Herval, 1.083/404, Porto Alegre

Instagram @eniovivian

Escrito por
Mais de Eleone Prestes

Percorra comigo 10 ambientes da Mostra Elite Design aberta sexta-feira

Vamos curtir a primavera à beira do Guaíba com os 10 primeiros...
Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *