Muito brinquedo e pouco espaço? Veja 10 dicas para organizar quartos infantis pequenos

Nascimento, aniversário, visitas da família e de amigos. A cada ocasião, as crianças ganham novos presentes para se divertir. Quem tem filhos pequenos sabe que eles conseguem, em poucos minutos, espalhar brinquedos por quase toda a casa. E o quarto, então, passa a maior parte do tempo bagunçado do que arrumado — ainda mais se o espaço for pequeno.

Para ajudar as famílias a organizarem melhor esses espaços, a arquiteta gaúcha Caroline Marques Brodt, que possui escritório em Passo Fundo, no norte do Estado, criou uma lista com 10 dicas especialmente para os leitores do site. A inspiração foi o próprio quarto da filha, Lara, de um ano. O espaço projetado pela mãe possui 9m², o que exige muita criatividade para organizá-lo e deixá-lo acessível para a pequena.

O estilo escolhido pela arquiteta para desenvolver o quarto da filha foi o montessoriano, corrente arquitetônica que nasceu inspirada no método pedagógico da educadora italiana Maria Montessori, em que as crianças precisam ter autonomia. Na decoração de interiores, isso significa que os móveis precisam ser projetados para facilitar o acesso das crianças sem a necessidade de ajuda de um adulto. Elas precisam subir e descer da cama sozinhas, por exemplo, por isso esse móvel é colocado no chão em quase todos os projetos desse estilo. Além da liberdade, outro ponto importante para os quartos infantis é a segurança.

“Depois que temos filhos, a percepção (de arquitetura) muda bastante, percebemos o quanto é importante cada detalhe. Todo cuidado é pouco quando queremos deixar os pequenos livres. A intenção é que o quarto seja dela e um local seguro para (ela) explorar”, afirma Caroline.

Segundo a arquiteta, apenas um dos mobiliários desenhados para o quarto foi modificado na hora de tirar o projeto do papel, com objetivo de dar mais liberdade para a filha se divertir.  “No projeto, tínhamos a intenção de colocar uma mesinha com cadeiras, mas acabamos optando por fazer uma bancada mais larga e deixar mais espaço livre para ela brincar”, conta.

Quanto à organização de brinquedos, o uso do estilo montessoriano pressupõe que as crianças possam pegar e guardar qualquer item sem precisar dos adultos. Arrumar o próprio quarto pode, inclusive, ser uma brincadeira pedagógica, se os organizadores estiverem identificados por cor, tipo de brinquedo ou número, por exemplo. “A Lara já guarda sozinha os brinquedos dela. Quanto mais acessível é o lugar de guardar, mais facilidade as crianças terão para aprender onde eles devem ficar”, explica Caroline.

Confira abaixo as dicas da arquiteta:

1) Invista em organizadores
Eles servem para guardar de forma prática todos os objetos, podendo separar em tipos de brinquedos. Na hora de arrumar o quarto, os organizadores facilitam por não ter de colocar cada brinquedo em uma embalagem diferente ou guardar em armários. Conforme a arquiteta, cestos de malha e de tecido estão na moda atualmente.

2) Prefira organizadores transparentes
Quando as crianças podem enxergar o que está guardando dentro dos organizadores, elas têm mais facilidade para encontrar o brinquedo que estão procurando. Isso evita que elas espalhem todos os brinquedos que estão em todos os organizadores até achar o que ela quer. Outra dica para as famílias é deixar apenas um organizador aberto por vez até que a criança aprenda a abrir todos sozinha. Dessa forma, os adultos podem ter maior controle sobre o rodízio de brinquedos, evitando também que todos os brinquedos fiquem espalhados pela casa todos os dias.

3) Deixe espaços livres
Mesmo quando o quarto é pequeno, a arquiteta garante que sempre é possível planejar espaços livres para a criança brincar ali mesmo. Além de evitar que as crianças espalhem brinquedos em toda a casa, ela sabe que o quarto não é apenas o local de descanso, mas também de diversão e aprendizagem.

4) Opte por armários com travas
Até uma certa idade, é fácil manter as portas de armários fechadas pela altura da criança. Depois disso, alguns dispositivos de móveis podem auxiliar as famílias na garantia da segurança das crianças. Puxadores mais discretos, portas de correr com amortecedores (que dificultam a abertura por serem mais pesadas) e armários com travas são alguns exemplos citados pela arquiteta.

5) Cestos para lápis, giz, canetinhas e pincéis
A dica segue a mesma linha do organizador transparente. Como os cestos são vazados, as crianças conseguem ver o que está dentro, o que facilita a busca delas. E, se tem um lugar para guardar depois, facilita a organização.

6) Tenha tapetes
No quarto de criança, os tapetes têm duas funções: proteger do frio e facilitar a limpeza. Isso porque, muitas vezes, canetinhas e tintas podem manchar o piso, mas são removidas com mais facilidade dos tapetes. Os tapetes também ajudam a delimitar um espaço para algumas atividades.

7) Use vinílico como tapete
Essa dica é para quem não quer comprar aqueles tapetes peludos que exigem maior empenho na limpeza para livrá-los do pó. É possível comprar, em lojas especializadas de piso vinílico, a metragem que você deseja do material e fazer dele o tapete. Além de evitar o tropeço dos bebês, o piso vinílico é facilmente limpo com um pano úmido.

8) Utilize os próprios brinquedos como forma de decoração
Tanto em quartos grandes como em pequenos, os brinquedos podem ser aproveitados na decoração. Grandes bichos de pelúcia e futons podem ficar em cima da cama, por exemplo. Pintar uma parte da parede com tinta que imita o quadro negro ou até mesmo pendurar quadros ou lousas na altura das crianças também é uma forma de decorar o quarto — e com as obras de arte deles. Caroline explica que isso desenvolve a criatividade, a coordenação motora e a autoestima das crianças. “O que é melhor do que a criança desenvolver sua própria arte?”, completa a arquiteta.

9) Deixe pequenos espaços para brinquedos preferidos
Quando deixamos um objeto ou brinquedo que a criança é mais apegada em um espaço destinado à isso, ela brinca com maior facilidade e aprende a deixar aquele item sempre no mesmo cantinho. Esse espaço pode ser um nicho, o canto a cama, uma mesa ou uma bancada.

10) Opte por paredes laváveis
Investir em uma boa tinta lavável em quarto de criança é essencial, pois sempre aparecem riscos, até mesmo de brinquedos e objetos que soltam tinta.

Mais de Equipe eleoneprestes.com

Casa da Figueira, equilibrada volumetria à beira do Guaíba

“Quando visitamos o terreno para conceituar o projeto, a primeira visão que...
Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *