Hotel francês: tradição e contemporaneidade

InterContinental Hotel, projeto do Studio Jean-Philippe Nuel
Interior do InterContinental Hotel, projeto do Studio Jean-Philippe Nuel (fotos Nicolas Matheus, divulgação)
 
Jean-Philippe Nuel transformou uma edificação icônica de Lyon, onde funcionou por cerca de 800 anos um hospital, em um refúgio contemporâneo no centro da capital da gastronomia francesa. Trata-se do InterContinental Lyon Hotel Dieu ( 20 Quai Jules Courmont 69002 Lyon, France). Luxuoso e elegante, o projeto do Studio do designer de interiores francês fundado há 20 anos em Paris, com assinatura em vários hotéis deluxo, deriva da própria essência do prédio.
A aparente dicotomia entre a função do edifício e sua arquitetura extravagante é a própria essência do Hôtel-Dieu. Mas, enquanto a arquitetura externa é altamente ornamental, historicamente o espaço interno expressa a dicotomia entre arquitetura e função. No interior, a grande cúpula exibe a mesma riqueza que o exterior, em contraste com os outros espaços mais sóbrios, com pisos de pedra, paredes rebocadas e tetos de madeira.  
Intercontinental Lyon Hotel
A edificação impressiona,
monástica e preciosa, uma justaposição dessas duas idéias que expressa o objetivo do conceito decorativo para o Grand Hôtel Dieu de Lyon. Deriva da própria essência do edifício, da história do Hôtel-Dieu. (foto de Eric Cuvillier, divulgação) 
 

A 32 metros de altura, o Grand Dome se tornou o novo centro do hotel e um lugar único onde se pode saborear um coquetel dentro de um prédio com tamanha carga de história. Todo o mobiliário foi concebido para o projeto do Studio Jean-Philippe Nuel em colaboração com a Ligne Roset para prover o projeto de essência contemporânea nessa atmosfera única. E, para não esquecer o know-how de Lyon, os tecidos foram escolhidos para se encaixar no diálogo usando sedas Lyonnais de Verel de Belval e telas simples.

A ideia é se encaixar na essência do edifício, indo além do efeito estilístico. O projeto pretende ser contemporâneo, sendo a sua própria identidade, exibindo um luxo contido, humilde, consistente com a história deste prédio único. Painéis de madeira preta na área do lobby-recepção e portaria são pontuados por luzes de parede dourada, homenageando a cidade das luzes, visível do lado de fora. Pelo contrário, encontram-se telas grandes para pontuar os espaços e criar intimidade. Eles são feitos com as mesmas sedas tradicionais de Lyon, mas misturam-se com as obras de cânhamo de Veronique de Soultrait.

A ambição de todos os envolvidos era dar vida à herança enquanto abraçavam a nova função do edifício. Foi tomado especial cuidado em assegurar que esta construção histórica seja acessível ao público em geral e, em particular, aos Lyonnais, que têm uma relação especial com o prédio. Devido à sua posição dentro do canteiro de obras da cidade, bem como à posição sentimental e emocional que ocupa, o Grand Hôtel Dieu de Lyon é um lugar onde os visitantes podem experimentar a riqueza do patrimônio do século XVIII de uma nova maneira.

Escrito por
Mais de Eleone Prestes

Patricia Anastassiadis traduz o estilo elegante da Artefacto

Autora do recente Palácio Tangará, diretora criativa da marca Artefacto pelo terceiro...
Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *