Galeria homenageia Danúbio Gonçalves

Danúbio Gonçalves, Boulevard Mohammed V, 1982. Acrílica s tela, 50 x 64 cm (Fotos Divulgação)
Danúbio Gonçalves, Boulevard Mohammed V, 1982. Acrílica s tela, 50 x 64 cm (Fotos Divulgação)

A partir deste sábado, 1º de junho, abre a exposição “Danúbio, arte e amigos artistas”, na Galeria Duque, com obras do acervo da galeria e da família do artista gaúcho falecido recentemente. São mais de cem trabalhos de Danúbio, do Grupo de Bagé (formado também por Glauco Rodrigues, Glênio Bianchetti e Carlos Scliar), de amigos, de contemporâneos, como Portinari e Burle Marx, e dedica um andar da galeria às pinturas eróticas de Danúbio. A mostra fica aberta até 4 de julho e o vernissage neste sábado será das 15h às 17h, na Rua Duque de Caxias, 649, no Centro Histórico de Porto Alegre.

Danubio Gonçalves, balonismo, acrílico sobre tela, 70x90 cm
Danúbio Gonçalves, balonismo, acrílico sobre tela, 70×90 cm

Está dividida assim a mostra: no primeiro andar, os visitantes vão encontrar obras do artista e do Grupo de Bagé; no segundo andar, obras de Danúbio e de artistas que fizeram parte da sua vida e integram o movimento da arte moderna brasileira, como Portinari, Burle Marx, Carybé e Djanira; no terceiro andar, estarão em exposição obras de artistas que conviveram com ele no Atelier Livre Xico Stockinger, onde Danúbio foi professor e diretor; e o quarto andar será dedicado exclusivamente às obras eróticas do artista.

Danúbio Gonçalves, Xarqueadas – Zorra 1953, Xilogravura, 18 x 25 cm
Danúbio Gonçalves, Xarqueadas – Zorra 1953, Xilogravura, 18 x 25 cm

Danúbio Gonçalves, que faleceu em 21 abril deste ano, havia realizado sua última exposição individual na Galeria Duque. Em 2013, a mostra “Glória do Pincel” expôs trabalhos de toda a sua carreira artística nos quatro andares do espaço. O galerista Arnaldo Buss é um grande admirador e colecionador do artista. “Em 1997, adquiri a primeira série do Balonismo, depois acompanhei suas outras exposições e hoje temos uma coleção bem variada, da série Marrocos, e de outras pinturas e gravuras, desde os anos 60 até desenhos mais recentes de 2014”, detalha Buss.

Danúbio Gonçalves, Balonismo 1997, Litogravura P.A. III, 30 x 45 cm
Danúbio Gonçalves, Balonismo 1997, Litogravura P.A. III, 30 x 45 cm

A exposição tem curadoria da artista plástica Daisy Viola, que também é instrutora do Atelier Livre. “Danúbio é um dos nomes mais importantes da história das artes visuais do Rio Grande do Sul”, destaca. O artista andou pelo mundo, morou em Paris durante dois anos, e estudou com grandes nomes da arte brasileira como Portinari e Iberê Camargo. Na década de 1950, formou, junto com os amigos Glauco Rodrigues, Glênio Bianchetti e Carlos Scliar, o Clube de Gravura. O quarteto passou a ser chamado de “O Grupo de Bagé”, fundamental para a afirmação e divulgação da importância das linguagens gráficas na arte do Estado e do País, que também estará representado na exposição. Lecionou no Atelier Livre durante 15 anos, assim como professor de gravura na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). “Foi um artista que construiu sua obra inspirada na vida e na sua realidade e manteve sempre uma postura de não adesão a modismos”, resume a curadora.

Danúbio Gonçalves, Salga, Xilogravura P.A. 17 x 23 cm
Danúbio Gonçalves, Salga, Xilogravura P.A. 17 x 23 cm

A Galeria Duque também apresenta obras que fazem parte do acervo, com artistas como Di Cavalcanti, Darci Penteado, Victor Vasarelli, Djanira, Waldeni Elias, Bruno Giorgio, Ione Saldanha, Burle Marx, Guignard, Carybé, Pancetti, Antonio Bandeira, Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Joaquim Tenreiro, Armando Romanelli, Aldo Malagoli, Jorge Guinle, Iberê Camargo, Tomás Santa Rosa,  entre outros. “São representantes de um tempo em que o Brasil se tornava definitivamente moderno. E o modernismo, por sua vez, ganhava uma entonação brasileira com novas formas de sentir e ver”, observa Daisy. Além disso, alguns deles fizeram parte da vida pessoal e artística de Danúbio. Ainda garoto, na década de 1940, frequentou o ateliê de Cândido Portinari, no Rio de Janeiro, onde morou por 14 anos. Lá, também conviveu com o paisagista e pintor Burle Marx.

Danúbio Gonçalves, Bonjour Monsieur Vicente 91, gravura em metal 1330, 32×46 cm
Danúbio Gonçalves, Bonjour Monsieur Vicente 91, gravura em metal 1330, 32×46 cm

Seguindo a tradição de dar visibilidade à arte gaúcha da atualidade, a Galeria Duque abre espaço para artistas que conviveram com o mestre Danúbio no Atelier Livre Xico Stockinger. Miriam Tolpolar, Marta Loguercio, Ondina Pozzoco, Mabel Fntana Wilson Cavalcanti, Paulo Chimendes estão entre os nomes que completam a homenagem.

Serviço

O que: exposição Danúbio, arte e amigos artistas
Onde: Galeria e Espaço Cultural Duque, Duque de Caxias, 649 – Centro Histórico de Porto Alegre
Quando: vernissage sábado, 1º de junho, das 15h às 17h. Exposição de 1º de junho a 24 de julho. Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 10h30 às 19h e sábado, das 10h30 às 17h
Entrada Franca

A galeria também recebe visitas de grupos e escolas, com agendamento prévio, pelo telefone (51) 3228-6900

Escrito por
Mais de Eleone Prestes

Fotografia de Tonico Alvares mostra abstrações da natureza

Exposição Maraú, Brasil, de Tonico Alvares, abre sábado, dia 30 de novembro,...
Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *