Reforma: apartamento vira prática moradia para as filhas jovens

Os pais mudaram-se para o interior do estado e decidiram reformar totalmente o apartamento, adequando-o ao gosto e às necessidades de suas duas filhas universitárias que passariam a ocupá-lo sozinhas. “O imóvel estava com a identidade da família e nada prático para as jovens, ambas na faixa dos 20 anos”, explica o designer de interiores Michel Keller, convocado pela mãe das meninas para criar um projeto condizente com seu perfil.

Apartamento atualizado por Michel Keller
Apartamento atualizado por Michel Keller

“A história é interessante”, ele conta, “a proprietária do apartamento foi minha colega em um curso de decoração há quase uma década e gostava do estilo de meus projetos. Seguiu acompanhando minha trajetória e, mesmo depois de tanto tempo, ainda se lembrava de mim e me chamou”.

Novo projeto no imóvel de 196 metros quadrados mudou desde a fiação até o piso

O projeto fez mudanças radicais no imóvel de 196 metros quadrados, no 13º andar de um prédio no bairro Três Figueiras, em Porto Alegre, substituindo desde a fiação até o piso, numa obra que levou quatro meses. Só nas suítes o layout foi mantido como era, mas houve mudança de mobiliário, revestimentos, etc. O arquiteto se ateve às personalidades bem distintas das jovens, uma, romântica e com um guarda-roupa repleto, outra, alternativa, adepta do estilo industrial. “Foi bom poder caminhar por vários estilos e juntar a necessidade e as ideias de pessoas diferentes” atesta o profissional.

Entre as mudanças, o apartamento passou a contar com itens de automação, incluindo som, iluminação e segurança. Agora, além do living, também cozinha e lavabo têm saídas de som.

Integrar foi o primeiro passo

Jantar, estar e cozinha passaram a formar um só grande ambiente, setorizado com a ajuda do projeto luminotécnico, também do escritório de Michel, e do mobiliário. No piso do estar, o prático porcelanato da linha Sampa recebeu o tapete Ziegler, da série Colors, num sóbrio tom de cor-de-rosa, delimitando a área. A paleta de cores suaves predomina em todo o living, mas ganhou nuances e diferentes texturas para evitar a monotonia. O sofá em lona, por exemplo, embora em tonalidade bem próxima, contrasta com a as poltronas, de veludo com costura aparente, formando um sinuoso padrão, e também com o pufe, no mesmo tecido.

O rack baixo em marcenaria e acabamento de laca fosca branca serve como apoio tanto para o estar quanto para a poltrona de leitura em couro cinza, réplica da Eames Lounge, separados pelo móvel e pela coluna de ferro que dá suporte à TV. Ela possibilita posicionar a tela em vários ângulos para ser assistida de diversos pontos do living. As duas mesas de centro também são finalizadas com laca branca. Sobre elas, o vaso em metal leva à impressão de que se trata de uma peça só.

Michel optou por usar gesso liso no forro com iluminação lateral, ampliando ainda mais o living, ao mesmo tempo em que destaca o mobiliário. O ambiente limpo e sem interferências visuais incluiu a instalação de som de forma superdiscreta – note o quase imperceptível subwoofer embutido na parede do estar, ao lado das poltronas de veludo.

Dever de casa

Na outra extremidade do living, o local de estudo, indispensável às universitárias, tem a parede recoberta por estantes, marcenaria com acabamento de laca fosca branca, retroiluminadas, formando uma pequena biblioteca e servindo de suporte para elementos de decoração. No meio delas, está o bufê antigo com espelho, no estilo Chippendale, do acervo dos donos da casa. “Foi exigência da cliente que incluíssemos a peça no projeto”, diz Michel, que chama a atenção, também, para o acabamento chanfrado dos nichos que comportam os livros.

A mesa de estudos tem acabamento em laca fosca cinza e é acompanhada pela cadeira branca de metal com assento revestido em tecido e pela banqueta de couro, igualmente branco, com forma geométrica. A grande luminária, réplica da Dear Ingo by moooi, cumpre seu papel de garantir bastante luz para quem estiver lendo ou escrevendo, além de agregar um toque a mais de personalidade ao ambiente inteiro.

A grande luminária é uma réplica da Dear Ingo by moooi

Detalhe afetivo no jantar

A paleta clara segue firme no jantar, e a mesa Saarinen oval de mármore branco não é maculada sequer pelos vasos sobre ela, em acrílico transparente. As cadeiras brancas têm encosto de palhinha e assentos revestidos de tecido bege.  Encostada à parede, a tela do artista gaúcho Elias Adamski, com 1,80cm por 1m, foi escolhida a dedo, carregando um forte sentido afetivo: representa a mãe e suas duas filhas, incorporando ao projeto a figura de cavalos, referência ao haras da família, uma das paixões da cliente. A pintura se duplica graças à grande superfície de espelho, que cobre todo o hall, inclusive o forro, e segue pela parede do jantar.

No hall, a superfície de espelho só é interrompida pelas portas brancas, a de entrada, e a que leva ao lavabo, onde as paredes são revestidas com couro pespontado. A cuba, de mármore branco, recebeu moldura de plantas desidratadas.

“Antes da reforma, o espaço da cozinha era dividido com o do escritório, ambos isolados”, diz Michel, “resolvi integrá-la totalmente ao living, já que as irmãs gostam de estar juntas, e deixar a outra parte da cozinha, atrás da pia, para os pets da casa”. Os móveis escuros diferenciam e delimitam o setor, com bancadas de vidro Cinex na pia e no fogão. As refeições mais rápidas do dia a dia ganharam lugar próprio, com a bancada de mármore branco, servida por banquetas altas e esguias que misturam madeira e metal pretos.

Mesmo econômico em adornos, o projeto está pontuado por detalhes bem interessantes, caso do suporte com nichos, em madeira e metal, preso a uma das paredes da cozinha. Os nichos podem ser rearranjados de acordo com a necessidade. A peça é do Atelier Industrial, de São Paulo.

Do candy ao hard sem sobressaltos

É nas suítes que a diferença na personalidade das jovens moradoras ganha mais peso. O cor-de-rosa predomina no ambiente criado para a estudante de Veterinária, que fez questão que todas as escolhas partissem da tonalidade. O clima romântico foi intensificado pela penteadeira antiga de madeira, adquirida em antiquário, acompanhada pela cadeira branca Comback, da Kartell.

A cabeceira da cama foi revestida com tecido Ralph Lauren rosa clarinho, e o tapete bege serviu para evitar o excesso do tom, sem tirar-lhe o protagonismo. Nas paredes brancas, Michel escolheu usar o boiserie, tudo a ver com o recorte da cabeceira, também em estilo francês.

No banho, além do branco, o revestimento das paredes repete o rosa, numa nuance bem candy, com uma pequena licença poética: a luminária Cabaça verde assinada por Bianca Barbato.

A segunda suíte é radicalmente diferente. Do romântico, um salto para o industrial, com paredes de cimento queimado, cama de ferro preto com desenho retrô e luminárias de metal, uma preta, outra laranja (um dos poucos itens de cor utilizados no dormitório).

No piso, o tapete de tecido aquece, mas não abandona a proposta hard.  O móvel de ferro preto com tampo em madeira foi encomendado ao Atelier Industrial.

Na parede de drywall ao lado da cama, os nichos têm moldura de alumínio preto e fundo de espelho, gerando um efeito bem interessante, inclusive por replicar o fio iluminado que sobe por uma das paredes, atravessa o forro, e desce pela outra.

No banho, a porta de madeira reproduz as típicas de estábulos, em mais uma referência familiar. Na área que liga o banho ao dormitório, o cimento queimado das paredes só é interrompido pelo papel de parede, anterior ao projeto, que foi mantido a pedido da jovem que ocupa o ambiente.

O box tem estrutura em alumínio preto, formando quadros e fugindo do habitual, da mesma forma que a cuba em Silestone e a moldura do grande espelho, ambas num vibrante tom de verde. Quebram a hegemonia do cinza também as torneiras industriais vermelhas. A banqueta de metal e madeira é do Atelier Industrial.

Hóspedes habituais guiaram estilo da terceira suíte

A mais grandiosa das suítes foi projetada para hóspedes, principalmente os pais das jovens, habituais, por isso, seguiu suas preferências.  Para receber a cama, Michel preparou um nicho revestido por lâminas naturais de madeira, criando uma proposta intimista e aconchegante. Dos dois lados da cama, armários longilíneos finalizam o espaço.

O espelho sobre a cabeceira da cama, circundado por moldura de raios que remetem a um radiante sol, é da Essenza, de onde também veio a cômoda preta com acabamento de laca brilhante e puxadores de metal. O móvel ganha muito destaque no ambiente de paredes, forro e piso claros. As luminárias de led do forro e do nicho foram desenhadas pela Boutique dos Lustres.

O banho segue a linha clássica do dormitório, todo em mármore branco Carrara e metais dourados. O estilo é reforçado pelo espelho veneziano com moldura repleta de detalhes.

Michel expressa sua satisfação com este extenso projeto: “tive liberdade da cliente que confiou cegamente em meu trabalho e hoje é muito feliz com todo o apartamento”. Resultado melhor, impossível!

Michel Keller – Interiores e Exteriores

Com escritório em Porto Alegre, o designer atua na área desde 2009, em projetos residenciais e corporativos. Michel aperfeiçoou seus conhecimentos com estudos no Brasil e no exterior, e define seus trabalhos como “espaços acolhedores que traduzem tranquilidade e irradiam boas sensações”.

Rua Roque Callage, 774/310

Porto Alegre, RS

(51) 98133-0779 – (51) 3198-2898

www.michelkeller.com.br

Mais de Equipe eleoneprestes.com

Monocromia e vazios num projeto sem supérfluos

Localizado em frente ao Parque Germânia, no Jardim Europa, em Porto Alegre,...
Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *