Quando uma obra fala com outra

Pintura de Marilice Corona no MARGS

Há duas exposições interessantes de pintura já a partir da proposta, abertas até dia 16 de julho, no andar superior do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS). A artista Marilice Corona é o elo entre as duas. A primeira, Marilice Corona: Entre o acervo e o estúdio, nas salas Ângelo Guido e Pedro Weingartner, e a segunda, Coletiva do Studio P: No eStúdio, na Sala João Fahrion, composta por trabalhos de 23 artistas, com a curadoria de Marilice Corona, artista e professora de pintura do Instituto de Artes da UFRGS.

Pintura de Marilice Corona no MARGS
Pintura de Marilice Corona no MARGS
Pintura de Marilice Corona no MARGS
Relação entre as obras

Marilice, para a exposição Entre o acervo e o estúdio, selecionou obras do acervo do MARGS para estabelecer um diálogo com seu trabalho. Em Jogo – O retrato de Tatiana, 2015, pintura de sua autoria e já pertencente ao acervo, é acrescida de novas telas e os retratos da guarda de segurança do museu articulam-se com outros retratos femininos icônicos, como A dama de branco de Artur Timótheo da Costa, O vestido verde, de João Fahrion e outros.

Dando seguimento às suas investigações sobre autorreferencialidade e metapintura, Marilice seleciona também pinturas de ateliês de artistas ou cenários de produção de João Fahrion, Carlos A. Petrucci, Edson Motta e Pedro Weingartner.

Pintura de Marilice Corona no MARGS
Temática do ateliê do artista

A partir desse tema do ateliê do pintor, Marilice convida o seu grupo de pesquisa em pintura, o Studio P, para refletir sobre o tema e a participar de sua mostra. Resultado: duas exposições diferentes conectadas. A escultura Inca, de Fernando Corona, (avô da artista) participa da mostra.

Coletiva No eStúdio

Coletiva no MARGS
Espaços de trabalho, 2017 – Trabalho colaborativo – Marilice Corona e Studio P – Na exposição Entre o acervo e o eStudio

Para a sala João Fahrion, Marilice organiza e faz a curadoria da exposição coletiva No eStúdio que exibe a produção do grupo. O Studio P – Atelier Aberto de Pintura, foi criado por Marilice Corona como um projeto de extensão. O grupo se formou a partir da demanda de alunos e ex-alunos do curso de Artes Visuais do Instituto de Artes da UFRGS, interessados em compor um grupo de estudos em pintura e também para criar ações conjuntas. Como esta.

Pintura de aluna de Marilice Corona
O Atelier de Marilice Corona por Gustavo Walbrohel Marques – integrante do Studio P

Conhecido por suas interferências urbanas, o Studio P apresenta a coletiva No eStúdio. A mostra tem a intenção de mostrar o trabalho de cada um e usar o estúdio como alegoria do espaço de pensamento, de investigação da linguagem. Objetivo alcançado.

Pintura de aluna de Marilice Corona

O Atelier de Marilice Corona por Andressa Pacheco Lawisch – Integrante do Studio P –

Pintura de aluna de Marilice Corona

O Atelier de Artur Veloso Schenatto –  integrante do Studio P- por Marilice Corona

Eis os componentes do Studio PAna Krebs, Andressa P. Lawisch, Antonio Vasques, Artur Veloso, Bruna Vargas, Carmen Sansone, Eduardo Monteiro, Eduardo Thomazoni, Eduardo Turski, Gustavo Assarian, Gustavo Walbrohel, Karenn Liègeh, Leticia Parraz, Manoela Cavalinho, Marcelo Bordignon, Mariana Riera, Monique Maccari, Natasha Kulczynski, Raquel Boff, Regina Krumholz, Rodrigo M. A., Santiago Pooter e Thiana Sehn.

Escrito por
Mais de Eleone Prestes

ArtRio: tudo – ou quase – sobre a feira na Marina da Glória

Este ano a 7ª ArtRio estreia novo endereço, na Marina da Glória, daqui...
Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *